O que aprendi trabalhando em alguns dos principais centros financeiros do mundo

Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

“Do jeito que está a economia, não tenho como guardar dinheiro ao final do mês!”
“Com toda essa crise, só quem enriquece mesmo são os bancos!”
“Quando a situação do país melhorar, vou começar a economizar mais!”

Se você acha que essas frases são típicas do brasileiro, posso te assegurar que eu mesmo já escutei exatamente as mesmas afirmações na Inglaterra, na Espanha e em diversos outros países onde tive a oportunidade de trabalhar e de conhecer bem o cenário financeiro local.

Parece ser um costume mundial culpar a crise, a inflação, os impostos, os bancos, e outros fatores totalmente alheios ao nosso controle, pelas nossas próprias preocupações financeiras, quando a principal razão é bem diferente!

Não quero dizer com isso que esses fatores externos não tenham influência sobre a economia. Quero dizer apenas que existe algo muito mais importante para o nosso dinheiro, e que depende apenas de nós mesmos: a maneira como cuidamos das nossas próprias finanças pessoais.

Tenho certeza que você conhece alguém que, mesmo em meio à recessão, conseguiu (de maneira lícita) melhorar o seu padrão de vida, trocou de carro, fez uma viagem ao exterior, tem os filhos estudando numa boa escola ou faz passeios com a família quase todo final de semana.

 

Mas o que faz essa pessoa prosperar mesmo em meio à crise?

 

Essa pessoa provavelmente tem algo que a grande maioria das pessoas não têm: conhecimentos de finanças pessoais!

A questão é que, mesmo que saibamos muito bem como ganhar dinheiro através do nosso trabalho, a grande maioria das pessoas nunca aprendeu a como cuidar melhor do dinheiro que ganha.

E essa falta de conhecimento acaba impactando pessoas de  todos os países, que não sabem como colocar a seu favor as condições da economia, sejam elas quais forem.

Isso explica porque, independentemente da economia de um país, sempre há algumas pessoas que conseguem prosperar financeiramente, enquanto muitas outras vivem constantemente preocupadas em conseguir pagar as contas ao final do mês sem se enrolar no cheque especial ou no cartão de crédito.

 

Dados impressionantes

 

Segundo estudo realizado pela Standard&Poors entre mais de 140 países, 67% da população mundial não tem educação financeira!

E não me refiro a conhecimentos avançados de finanças, mas simplesmente a entender como funcionam os juros de um empréstimo, qual o rendimento que um investimento pode dar ou o impacto da inflação sobre a renda familiar. Como exemplo:

  • Metade dos japoneses que pagam um financiamento da sua casa não tem idéia de como funciona os juros deste financiamento;
  • 42% dos norte-americanos que têm algum tipo de investimento desconhecem como calcular a sua rentabilidade;
  • 50% dos brasileiros que possuem um cartão de crédito não saberiam calcular os juros que pagam pelo cartão;
  • 51% dos adultos espanhóis são considerados “analfabetos financeiros”, por não possuir os conhecimentos mínimos para cuidar bem do seu dinheiro.

 

Pagando caro pela falta de educação financeira

 

O problema é que esse desconhecimento tem um custo extremamente alto: sem conseguir planejar suas economias, o dinheiro parece estar sempre em falta, mesmo que essas pessoas trabalhem cada vez mais pra sustentar os seus gastos.

Contam os dias pra terminar o mês e ver se conseguirão pagar todas as contas. E, por mais que se esforcem muito pra economizar, qualquer gasto inesperado já é razão pra descontrolar as finanças, acabar caindo no cartão de crédito, e adiar uma vez mais os planos pessoais.

Investir então parece um plano tão distante, trabalhoso e arriscado que preferem nem pensar nisso, deixando passar grandes oportunidades de ganho...

E assim, muitas vezes sem nem perceber, essas pessoas vão seguindo o mesmo caminho de milhões de outras que trabalham duro a vida inteira, e acabam dependendo do INSS pra se aposentar.

Se você também leva tempo esperando alguma melhora na economia pra poder finalmente economizar e cuidar melhor do seu dinheiro, aviso que a sua espera pode ser eterna!

 

Meu maior aprendizado

 

O que aprendi trabalhando em alguns dos principais centros financeiros do mundo é que não se trata de esperar que a economia esteja em condições ideais, mas de saber colocá-las a meu favor desde agora!

Por exemplo:

  • O mesmo cartão de crédito, que para muitos representa uma completa ruína financeira, para mim passou a ser uma das principais ferramentas para controlar melhor o meu dinheiro.
  • As altas taxas de juros do Brasil já fizeram com que muita gente entrasse em dívidas sem fim! Mas, no meu caso, aprendi a usar os juros a meu favor, fazendo com que os bancos trabalhassem pra mim, e não o contrário.
  • Em momentos de alta do dólar ou de inflação nas alturas, em que vi muitos amigos cancelando viagens e planos, foi quando mais ganhei dinheiro por saber como investir bem.
  • E até mesmo um financiamento imobiliário, que pra muita gente representa uma dívida de várias décadas, também pode ser uma fonte extra de ingressos se você souber como fazer.

 

Por mais difícil que possa parecer, esse é o melhor momento de aprender definitivamente a cuidar bem do seu dinheiro!

Quando a economia finalmente melhorar, a grande maioria das pessoas vai desejar ter começado antes a conquistar a sua autonomia financeira. Mas, quem está bem preparado pode desde já começar a colocar em prática as melhores oportunidades de aumentar seus ganhos!

 

 

©2018 Copyright. Todos os direitos reservados

Agência de Marketing Digital 360, Web Design e Web Master (Criação de Sites e Lojas Virtuais, Especialistas em Google AdWords, Otimização de Sites SEO, Email Marketing, Mídias Sociais Facebook, Youtube, Twitter - Agência Sincro) SMM - Agência Sincro